Descobertos manuscritos inéditos que podem ser de Guerra Junqueiro

Junqueiro, foi o poeta mais tipico representante de la 'Escola Nuova"

Cerca de mil folhas presumivelmente manuscritas pelo poeta Guerra Junqueiro, no final do século XIX, foram entregues ao proprietário da Livraria Lello, Antero Braga, disse hoje à agência Lusa o livreiro.

Numa primeira análise, o proprietário da Livraria Lello, que tem outros manuscritos de Guerra Junqueiro, constatou que “a letra é exatamente igual”, as datas, “por volta de 1890”, coincidem com o tempo em que o poeta mais escrevia e o papel é “muito antigo”, típico da época, estando as folhas embaladas com cordel.

Diário de notícias Junqueiro

 

“Foi-me entregue ontem [quarta-feira] à tarde por um cliente da livraria de há muitos anos, que não quer que se saiba quem é”, referiu Antero Braga, adiantando apenas que se trata de uma pessoa do Norte que quer que se verifique se são ou não manuscritos de Guerra Junqueiro.

“Já está depositado num banco, por causa das tentações. Não faço ideia do valor que isto pode ter”, salientou, acrescentando que a sua primeira preocupação foi colocar os manuscritos “em sítio seguro”.

Antero Braga vai agora contactar especialistas na obra de Guerra Junqueiro para que seja feito um estudo rigoroso às cerca de mil folhas, onde se inclui troca de correspondência, mas também possíveis princípios de obras.

“Não garanto que sejam textos dele, mas há demasiadas coincidências”, realçou, sublinhando que este achado “deve ficar em Portugal”.

Abílio Guerra Junqueiro nasceu em Freixo de Espada à Cinta, em 1850. Estudou Teologia, mas formou-se em Direito na Universidade de Coimbra. Foi funcionário público, e enveredou pela vida política, primeiro como deputado do Partido Progressista, depois abraçando a causa republicana. Como escritor e poeta, tornou-se um dos autores mais populares da sua época, com livros como “A Velhice do Padre Eterno”, “Os Simples”, “Pátria” e “Horas de Combate”. Morreu em Lisboa, em 1923, com 72 anos.

About blognostrumuva

blog voor de Collectie Romaanse Talen van de Universiteitsbibliotheek van de UvA (universiteit van Amsterdam)
This entry was posted in Portugees and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s